Entrevista Especial: PELÉ PROBLEMA

Produtor e empresário de grandes nomes do samba, pioneiro nos anos 90 e 2000, Pelé Problema foi criador de shows e eventos, como a ADPM Melhores do Ano

Carlos Alberto Rosa, mais conhecido como Pelé Problema, nasceu em São Paulo e foi criado na periferia. Desde os 6 anos de idade acompanhava o pai nas idas ao clube, onde ele jogava futebol e também tocava bateria e cantava. Foi aí que começou sua ligação com o meio musical. 

Na adolescência chegou a ser jogador de futebol, mas desistiu da carreira aos 17 anos e trilhou por outros caminhos. Cinco anos depois montou seu próprio escritório. Na época, Pelé Problema, passou a frequentar grandes bailes da cidade, como Chic Show, Musicália Dançante e Botequim do Camisa. Além de produtor, montou o grupo “Ponto de Encontro”, com quem participou de vários eventos. Tornou-se empresário e seu primeiro show oficial foi com Mauro Diniz, com participação especial de Beth Carvalho.

A partir daí, Pelé Problema trouxe ao público vários artistas, entre eles: Gamação, Negritude Junior, Soweto, Jeito Moleque, SPC, Exaltasamba, Boka Loka, Zeca Pagodinho, Alcione, Beth Carvalho, Fundo de Quintal, Art Popular, Dudu Nobre, Ivone Lara, Neguinho da Beija Flor, Pixote, Katinguelê, Sampa Crew. Também foi empresário de grandes nomes do samba, dentre eles Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Leci Brandão, Reinaldo “Príncipe do Pagode”, Da Melhor Qualidade, Sensação entre outros.

Comandou nas rádios o “Sacode Band”, pela Rádio Band FM 96,1, e teve participação na TV como jurado no programa “Show da Gente“, do SBT, dirigido por Marlene Mattos e com apresentação do cantor Netinho de Paula. No Carnaval, já atuou nas escolas de samba Rosas de Ouro, Camisa Verde e Branco e Mocidade Alegre, que o consagrou em 2020 com um o título de “SAMBISTA IMORTAL”, o legítimo defensor do samba brasileiro.

ENTREVISTA

Quando e onde começou a paixão pelo samba?

Com meus 6 anos eu já acompanhava meu pai nas partidas de futebol e no clube ele tocava e cantava. Essa convivência e influência tão próxima com o meio musical desde que nasci, fez com que eu me tornasse o produtor que sou hoje.

Quais foram suas inspirações no começo de carreira?

De início foi Mauro Diniz, no show que teve participação especial de Beth Carvalho. E, atualmente, outros grandes nomes do samba.

Você trabalha com muitos novos talentos do samba e pagode. Como é isso para você? Quais conselhos daria para quem está começando?

Sou um apreciador criterioso de música. Estou sempre em busca de novos talentos, produtos e lançamentos. Meu conselho para quem está começando é manter os estudos e se preparar para o mercado.

Tem alguma coisa que ainda não fez na sua trajetória musical e que gostaria de fazer?

Hoje sou produtor e empresário. Estou realizado com o meu trabalho, pois amo o que eu faço. Não é por dinheiro. Estou satisfeito e sempre serei um defensor do samba.

Você é um ícone no meio do samba e pagode. Como foi trilhar esse caminho e conseguir, ainda hoje, se manter nesse meio?

Eu acredito que ter esse perfil mais visionário e esse olhar para o expoente, me levou ao maior patamar de público e ao reconhecimento artístico.

Quais são seus novos projetos? 

Como defensor do samba brasileiro, pretendo buscar e lançar talentos. Atualmente, estou estudando, pesquisando e analisando um DVD com grande qualidade musical.

Fernanda Oening

Jornalista e produtora. Editora do SambaNews. Paulistana, nascida e criada na Barra Funda, bairro onde conheceu um amor pra vida inteira: Camisa Verde e Branco. Foi passista e destaque da escola por anos. Não dispensa uma boa roda de samba!

Compartilhe com os amigos:

Acompanhe nossas redes

Mais Populares

Scroll to Top