Camila Prins, uma madrinha e tanto

Considerada a primeira madrinha de bateria trans do Grupo Especial de São Paulo, Camila Prins encanta a todos com sua simpatia e carisma

Camila Prins
Foto: Acervo Pessoal

Ela foi a primeira madrinha de bateria transexual do Grupo Especial do carnaval paulistano, desfilando pela escola de samba Colorado do Brás no carnaval de 2020. Camila Prins esbanja carisma, beleza e simpatia.  Em 2019, foi rainha trans da Furiosa, bateria da sua escola de coração, Camisa Verde e Branco. Apaixonada pela festa desde criança, sua trajetória no carnaval, começou em 2000, após ser convidada a desfilar com o Trevo da Barra Funda, pelo carnavalesco Tito Arantes.

Desde então não parou mais. Já soma 20 anos de carnaval, participando de várias outras agremiações. “Já desfilei no Camisa, Mocidade Alegre, Leandro de Itaquera, Nenê de Vila Matilde, Peruche, Vila  Maria, Águia de Ouro, Tucuruvi, Tom Maior, X9, Santa Bárbara e atualmente, Colorado do Brás”, conta Camila. 

História

Natural de Leme e casada há 19 anos com um químico suíço, a madrinha se divide entre o Brasil e a Suíça, onde mora. Iniciou seu processo de transição ainda na primeira infância, por volta dos 6 anos de idade, quando passou a perceber que o gênero que nasceu não a representava. Aos 11 anos, durante o carnaval, vestiu-se pela primeira vez de mulher e conta que foi uma realização. Foi aí que começou sua transformação, contando com o apoio de sua família. Fato muito importante para a vida e crescimento de Camila, levando em consideração que, no Brasil os dados de crimes contra travestis e transexuais ainda é muito alto.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia Estatística, a expectativa de vida deles é de 35 anos: não passa da metade da média nacional, que é de 75 anos. Infelizmente, ainda somos o país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Mas, Camila segue sua trilha com orgulho, determinação e conquistando seu espaço cada vez mais.

Colorado do Brás
Camila Prins
Foto: Acervo Pessoal

“O carnaval 2020 foi inesquecível pra mim. Desfilar no grupo especial com a Colorado do Brás e sendo madrinha da bateria LGBT, foi um grande sonho realizado”. Com o enredo “Que Rei Sou Eu?”, a escola do Brás contou a história de Dom Sebastião, rei de Portugal. 

E Camila aproveitou para deixar um recado a todos os nosso leitores: “Neste momento, com essa pandemia, é hora de todos nós nos cuidarmos, para podermos fazer um lindo carnaval em 2021, com muito ritmo e brilho e tudo aquilo que nós, amantes do carnaval, gostamos. Então, para quem puder, fique em casa. Um grande beijo da madrinha”.

Nome: Camila Pereira de Moraes
Apelido: Camila Prins 
Idade: 40 anos                                                                                                        Signo: Peixes
Estado Civil: Casada 
Bebida preferida: Champagne 
Comida preferida: Japonesa 
Perfume: Coco Mademoiselle, da Chanel
Música: Samba 
Viagem Inesquecível: Ilhas Maurice 
Sonho: Ser uma verdadeira Rainha de Bateria

Fernanda Oening

Jornalista e produtora. Editora do SambaNews. Paulistana, nascida e criada na Barra Funda, bairro onde conheceu um amor pra vida inteira: Camisa Verde e Branco. Foi passista e destaque da escola por anos. Não dispensa uma boa roda de samba!

Compartilhe com os amigos:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Scroll to Top