Festival de Parintins 2020 é adiado

Pela primeira vez, em 55 anos de existência, o Festival de Parintins não ocorrerá em junho, por conta da pandemia do novo Coronavírus

Festival de Parintins
Foto: Divulgação

E o ano de 2020 não tem sido fácil. Desde março sofremos os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus no Brasil e no mundo. E com o aumento dos casos e a imposição da quarentena, muitos eventos foram cancelados ou adiados, para evitar a aglomeração de pessoas em espaços públicos. O Festival de Parintins, que começaria nesta sexta (26) e iria até domingo (28), foi adiado para novembro, ainda sem data certa para acontecer. Para quem já havia comprado os ingressos, poderá optar por pedir o reembolso ou aguardar as novas datas.

Até hoje, em todo o estado do Amazonas, foram mais de 60 mil casos confirmados e cerca de 2700 mortes por Covid-19. Segundo o André Guimarães, da Maná Produções, que representa os bois Caprichoso e Garantido, a decisão de uma nova data está dependendo de um possível controle da epidemia e um recuo no número de novos casos. Ele diz que todos se mantêm positivos e em sintonia com os órgãos de saúde e acreditam que até novembro será possível a realização. Mas, caso a situação volte a complicar, não hesitarão em optar pelo cancelamento do evento em 2020.

A expectativa é que se possa realizar o festival sem colocar a saúde das pessoas em risco. Mas, vale ressaltar, que o não acontecimento do evento, irá gerar um outro problema muito grave para o estado do Amazonas e, principalmente para a cidade de Parintins, que tem sua economia atrelada ao evento. “As nossas expectativas são sempre pautadas pelas orientações científicas que nós recebemos. O festival tem um aspecto bastante diferente de uma série, ou da grande maioria, dos outros eventos no Brasil, que é a questão econômica. Parintins é o modelo econômico mais bem sucedido de sustentação da economia através da cultura. Para que vocês tenham uma idéia, 65% da economia do município, que é o segundo em importância econômica do estado do Amazonas, é oriunda do Festival. Então, a semana do evento representa, num quadro orçamentário, em torno de 140 milhões, partindo 90 milhões de reais para o município. Representa milhares de empregos, locações de casas, transportes, artesãos, artistas. Milhares e milhares de pessoas que vivem o ano inteiro a partir daquilo que ocorre no festival”.

Parintins
Parintins
Foto: Reprodução Internet | Crédito: Pedro Coelho

O município de Parintins fica há aproximadamente 370 km de Manaus, capital do Amazonas. Segundo o último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2019, o município contava com mais de 114 mil habitantes. No período em que ocorre o festival, chega a receber 60 mil turistas.

Garantido e Caprichoso
Festival de Parintins
Foto: Reprodução Internet | Crédito: acritica.com

O Festival Folclórico de Parintins foi reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Os bois, Caprichoso (azul) e Garantido (vermelho), são reconhecidos mundialmente como uma das principais festas da cultura brasileira. As apresentações são realizadas no Centro Cultura de Parintins, mais conhecido como Bumbódromo, por três dias. Carregados de simbolismos e tradições, exaltam o povo indígena e ribeirinho da região Norte do país. 

Cada agremiação conta com cerca de 1500 profissionais envolvidos diretamente na elaboração de seus desfiles. Após o festival, os bois ainda exportam para São Paulo e Rio de Janeiro, cerca de 1000 profissionais que trabalham nos barracões das escolas de samba, dentre eles criadores e escultores de alegorias, costureiras, soldadores, designers entre outros.

Parintins Live

Neste sábado, 27, a partir das 20h30, ocorrerá o Parintins Live, que vai reunir os dois bois, no Centro Cultural Parintins, para uma apresentação de duas horas cada um, com o mínimo de pessoas envolvidas, respeitando os protocolos de saúde. Um sorteio foi realizado e o Boi Caprichoso será o primeiro a se apresentar, seguido do Garantido. O intuito da live é divulgar o festival e o público poderá contribuir com doações de cestas básicas e depósitos bancários, em qualquer valor, para qualquer uma das duas associações folclóricas. A transmissão será feita pela TV A Crítica, no canal 4 da TV aberta.

Fernanda Oening

Jornalista e produtora. Editora do SambaNews. Paulistana, nascida e criada na Barra Funda, bairro onde conheceu um amor pra vida inteira: Camisa Verde e Branco. Foi passista e destaque da escola por anos. Não dispensa uma boa roda de samba!

Compartilhe com os amigos:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Acompanhe nossas redes

Mais Populares

Scroll to Top