Moacyr Luz e Samba do Trabalhador lançam documentário “A Cara do Brasil”

Em entrevistas inéditas, integrantes do grupo fazem uma reflexão sobre o que mudou na música popular após 200 anos da Independência do Brasil

Samba é sinônimo de resistência, e pensar o bicentenário da Independência do Brasil requer um olhar atualizado sobre acontecimentos históricos e políticos, e como eles são ensinados. Uma das formas de se contar a história de um país é através da música, e o samba-enredo de 2018 do Paraíso do Tuiuti, “Meu Deus, Meu Deus – Está Extinta a Escravidão?”, faz isso com maestria. Essa e outras músicas estão presentes no documentário “A Cara do Brasil”, que será lançado nesta quinta (30) no YouTube, trazendo depoimentos e reflexões de cantores, compositores e músicos do grupo Moacyr Luz e Samba do Trabalhador, com um olhar atual, descolonizando a história brasileira.

No vídeo, Moacyr Luz fala sobre o samba composto por ele para a Tuiuti. “Essa música foi mais uma denúncia aos estereótipos, como a empregada doméstica da novela, que continua sendo preta. Ela não dorme mais na senzala, mas ainda dorme em condições precárias”, explica Moa.

O documentário “A Cara do Brasil”, gravado no Dia Nacional do Samba, 02 de dezembro, no Clube Renascença, tem roteiro e apresentação de Bia Aparecida, direção de Odoyá Produções e produção de Jacqueline Marttins, e foi selecionado através do edital Retomada Cultural do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

O Samba do Trabalhador é formado por: Moacyr Luz (voz e violão), Daniel Neves (violão de 7 cordas), Alexandre Marmita (voz e cavaco), Gabriel Cavalcante (voz e cavaco), Nego Alvaro (voz e percussão), Luiz Augusto Lima Guimaraes (percussão), Nilson Visual (surdo e tamborim), Junior De Oliveira (percussão) e Mingo Silva (voz e pandeiro).

 

Ficha Técnica: “A Cara do Brasil”

Roteiro e apresentação: Bia Aparecida

Direção de produção: Christiane Mendonça

Produção executiva: Jacqueline Marttins

Coordenação de projeto: Maury Cattermol

Identidade visual e vinheta: Maury Cattermol

Intérpretes de Libras: Suh ‘Sulamita’ (SS Traduções)

Assessoria de Imprensa: Lupa Comunicação

Edição, filmagem e captação de som: Flávia Rizzo Produções

Fernanda Oening

Jornalista e produtora. Editora do SambaNews. Paulistana, nascida e criada na Barra Funda, bairro onde conheceu um amor pra vida inteira: Camisa Verde e Branco. Foi passista e destaque da escola por anos. Não dispensa uma boa roda de samba!

Compartilhe com os amigos:

Acompanhe nossas redes

Mais Populares

Scroll to Top